Nizardo Wanderley

Cavaleiro Solitário

Textos


RESTO DE VIDA

Se resta em teu viver um pouco de piedade
E algum resquício de honra em ti (horrenda ilha)
Resgate esse molambo humano da armadilha
Erguida com as estacas de pranto e saudade.

Não deixes perecer à míngua quem te deu
Um amor emoldurado com tamanho apreço
Que o fez morrer em vida e pagar alto preço
Por tudo que ofertou e nada recebeu.

Segure firme a mão do escravo da demência
E afaste da sarjeta, ao menos por clemência
Esse fétido Ser, que outrora foi teu dono

Por isso cumpre, inerte, a dolorosa pena
Na jaula catastrófica que a alma lhe empena
E o lacra no sepulcro imundo do abandono.
Nizardo Wanderley
Enviado por Nizardo Wanderley em 01/04/2019
Alterado em 04/04/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras