Nizardo Wanderley

Cavaleiro Solitário

Textos


TREM FANTASMA
 
Num trem imaginário voltei ao passado
E visitei aquela antiga moradia
Onde um amor eufórico habitou um dia
E de ilusões infindas vivia cercado.
 
Fui até a varanda, me deitei na rede
E cheguei a ouvir teus passos sorrateiros
Sentindo o gosto até dos beijos derradeiros
Enquanto eu me embalava com o pé na parede.
 
Derramei várias lágrimas de dor, saudade,
Lembranças dos momentos de felicidade
Que hão de sepultar-me na cova da ânsia
 
E fui acalentado pelo maquinista
Da composição férrea louca e masoquista
Que me fez viajar na sepulcral distância.
Nizardo Wanderley
Enviado por Nizardo Wanderley em 15/12/2011


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras