Nizardo Wanderley

Cavaleiro Solitário

Textos


AMOR QUE MORRE...

Não sei se estou correto em minha decisão
Porém temendo amar (em vão) devo partir
E não quero brigar, chorar ou discutir
Nem contrariar ordens do meu coração.

Por ser absoluta a tua alma esquece
Que dar satisfações, calor, prioridade...
São fórmulas que selam pela eternidade
O pacto oportuno que o amor aquece.

Pedi o que não tinhas para me ofertar,
Iludi-me com o brilho desse teu olhar
Que nunca se dispôs a me dar teus prestígios...

E antes que eu te diga coisas que não devo,
Em vês de te falar, humildemente escrevo
E saio do teu mundo sem deixar vestígios.

Nizardo Wanderley
Enviado por Nizardo Wanderley em 23/10/2008
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original (Ex: cite o nome do autor). Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras